Convite: Pro-Animal e Vanguarda Abolicionista convidam para esse domingo

A Vanguarda Abolicionista e a Pro-Animal convocam ativistas, protetores e simpatizantes da causa animal para uma nova edição da ação de conscientização neste domingo, 7 de agosto, em frente à Feira Mundial de Filhotes e Pequenos Animais, em São Leopoldo, que ainda está ocorrendo. O objetivo é levar ao público a idéia de adoção, contra o comércio e exploração, e que os animais não são produtos.

A atividade acontecerá das 13h30min às 18h, na esquina do Bourbon Shopping São Leopoldo – Rua Primeiro de Março, 821, Centro de São Léo. Para quem vai de metrô, basta descer na Estação São Leopoldo e caminhar algumas quadras pela Rua São Caetano.

Informações e instruções podem ser obtidas pelos telefones 9164-3726, ou 9370-2175.

A ação acontece mesmo com chuva.

Entenda algumas das razões nessa categoria de ação de conscientização:

-o animal visto como mercadoria, coisa ou propriedade, esvaziado de sentido próprio de ser livre e com fim em si mesmo, submetido ao humor e índole de quem o coisifica como recurso, seja (1)afetivo ou (2)instrumental. Exemplo(1): amenizar os desamparos sentimentais das pessoas (relação de uso egoísta e, por ventura, passageiro=animal abandonado). Exemplo(2): cão de guarda (relação de uso como ferramenta=animal coisa).

-o animal condenado à logica perversa do mercado e às pulsões transitórias dos desejos, onde a “coisa” tem valor objeto, apenas pelo lucro que pode representar aos que pretendem obter vantagens à sua custa. O animal é tornado coisa descartável e com obsolescência programada. Se não gera lucro, não tem razão de continuar existindo.

-o animal como valor estético, subtraído de seu valor enquanto ser vivo com necessidades,  sentimentos, interesses e desejos particulares. Exemplo: o filhote bonitinho, fofinho, pequenino que cresce, se torna adulto, perde o formato “ursinho de pelúcia”, tem personalidade nem sempre agradável, defeca, urina, e em virtude da relação “proprietário/dono”-“propriedade/coisa” pode ser descartado por sua inconveniência.

-o mercado cruel de produção de filhotes, onde fêmeas são escravizadas em sua vida, sexo e útero. Tem seus filhotes roubados para abastecer o mercado comprador (as pessoas que compram). Sentimentos maternais não são exclusividade das mães humanas, são sentimentos das mães, independente de serem humanas ou de outra espécie animal. Fêmeas gastas, cujo corpo não gera mais filhotes, são descartadas cruelmente, pois estão submetidas à lógica perversa do mercado de coisas e objetos.

-filhotes crescidos e não vendidos estão sujeitos ao descarte e abandono como “coisas”, pois não geraram lucro para quem quer obter vantagens financeiras nesse mercado obsceno.

-pela fragilidade crítica e fatores emocionais e sentimentais envolvendo os desejos em relação aos animais, o comércio de animais deturpa e confunde a mentalidade das crianças que estão em processo de formação de valores e percepções, contribuindo para que possam se tornar futuros atores da exploração ou indiferentes para essas questões.

-desmascarar entidades comerciais que apoiam esse tipo de mercado vergonhoso sob a desculpa indecente de que estão respeitando a diversidade e gerando sustentabilidade financeira nesse tipo de negócio comercial que tem por filosofia a exploração de indefesos apenas por lucro.

-estimular a adoção em entidades protetoras sérias. Como na adoção de crianças, o vínculo sentimental com um animal adotado é construído dia-a-dia, sem compromisso mercadológico ou estético, e sim de afeto e compreensão mútuos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: